sábado, 24 de janeiro de 2009

Triste história de um toupeira brasileira - PARTE II. (ou: O dia que caí na pegadinha do Ivo Holanda)

Sintam só o drama de ontem. Mas antes, uma breve introdução:

Em dezembro, antes de viajar, a toupeira brasileira aqui resolveu deixar o boleto de janeiro da faculdade pago. Só que eu provavelmente estava chapadona de Polaramine quando paguei o boleto, pois paguei R$ 60 num boleto de R$ 760. Ok. Podem me julgar, atitude altamente execrável confirmar o pagamento sem olhar direito na tela qual valor foi digitado.
Fato é que, como eu ia viajar, e na ocasião, o financeiro da faculdade estava em recesso (Oi? Eu deixo pra pagar minhas contas na véspera de reveillon) e a faculdade informou que a única forma de corrigir isso seria indo pessoalmente na faculdade pra fazer o pagamento, foi me dado o prazo de até 23 de janeiro, para ir à faculdade acertar a situação.

Toupeira brasileira que sou deixei pra fazer isso ontem. Yeah, último dia.

Agora sim, o drama de ontem:

Cheguei na faculdade com a intenção de pagar no cartão de débito, mas chegando lá fui informada que eles não aceitam nenhum tipo de cartão, nem débito nem crédito. Cheques? Também não.

Comecei a me perguntar em que porra de faculdade que estudo, já que até na barraquinha de Yakissoba do Xing aceita Rede Shop, mas na minha faculdade não. Inclusive na cantina (cantina, que uó de palavra) aceita todos os tipos de cartões, mas no fucking financeiro da faculdade não aceita.
E atentem para o detalhe que eu estudo em uma faculdade de tecnologia. Inclusive o termo “Tecnologia Avançada” integra o NOME da faculdade. Piada pronta né, eu sei.

Saí da faculdade pra tentar sacar dinheiro e descobri o triste fato que o limite para saques do meu banco é de R$ 500 por dia, faltaria ainda R$ 200. Zicaaaa dos infernos, me neguei a acreditar que ia sair de lá sem pagar o boleto.
Na hora lembrei das 223 cartinhas que já recebi da Mastercard falando que meu cartão de crédito tem um limite X para saque, finalmente pensei, essa porra vai servir pra alguma coisa né? Pago alguma taxa por sacar com esse cartão, mas pelo menos não preciso voltar aqui.

Primeiro tentei no caixa do Itaú (meu banco), que nem leu a merda do cartão. Fui andando desolada, quando avistei um shopping! Pensei que estava salva, afinal, dentro do shopping teria algum caixa que me permitisse sacar com o tal do maestro. Vi um caixa do Bradesco com todas as bandeiras possíveis, pensei, é tu mesmo! Leu o cartão, opção de saque, digitei o valor, digitei a senha: “operação indisponível no momento, tente daqui alguns instantes”. Tentei nos 89389423 instantes seguintes em todos os caixas do Bradesco que encontrei, mas nada de funcionar.

Tentei no caixa do Banco 24 horas, nada. Banco do Brasil, nada. Santander, nada. Detalhe, TODOS tinham a fucking bandeira Mastercard/Maestro, mas meu cartão não funcionava. O ridículo disso tudo é que quando estive na Argentina saquei dinheiro até no Banco Patagônia e funcinou, mas no Brasil nada funcionava.

Lembrei que tinha o cartão submarino na carteira, que também permite saques na rede do banco 24 horas. Fiz a dancinha da alegria e fui alegremente no caixa do banco 24hs, tudo funcionou lindamente! Exceto pelo fato que eu não lembrava a senha do cartão, mero detalhe.....hunf.

Já estava voltando desolada, quando avistei uma agencia do Bradesco, com dezenas de caixas eletrônicos novinhos olhando para mim. Pensei, porque não tentar novamente? Afinal a mensagem dizia: “operação indisponível no momento, tente daqui alguns instantes”, já se passaram muitos instantes, não? Fui lá mais uma vez.

No meio da tentativa de saque tocou meu celular, praguejei o quanto pude. Ao atender (e digitando no caixa eletrônico simultaneamente), a voz de uma moça do telemarketing:

- Por favor, a senhora Isabel?

- Eu mesma (e praguejando contra aquela criatura me interrompeu no meio da operação no caixa)

- Aqui é fulana do security da Mastercard, gostaria de consultar quando foi a última vez que a senhora usou o cartão de crédito, pois suspeitamos que ele esteja sendo clonado, devido as sucessivas tentativas de saque na última hora, em diversos caixas eletrônicos de bancos diferentes.

(Teto preto totallll, Ivo Holanda provavelmente é o novo presidente da Mastercard e estava fazendo pegadinha comigo. A porra do saque não funcionava em nenhum caixa, mas eles monitoraram todas as minhas operações. Certamente vão fazer um curta metragem sobre essa piada e transmitir no “Topa tudo por dinheiro” do Silvio Santos. Aguardem, vou virar estrela.)

- É minha filha, tô tentando sacar algum dinheiro pra comprar Alprazolam, mas só me aparece “operação indisponível no momento, tente daqui alguns instantes”. Já tentei em 784723847293 instantes, mas esse caixa realmente está marrento.


Depois dessa, desisti. (antes que a Mastercard enviasse a minha localização para o FBI e um policial comendo rosquinha viesse decretar minha prisão preventiva por clonagem do meu próprio cartão).

Era o último dia pra pagar o boleto sem a monstruosa multa. Voltei na falculdade totalmente desolada, fiz cara de gatinho do Shrek, respirei fundo e:

- “Moça, só consegui sacar R$ 500, posso pagar uma parte? Não me cobra multa moça, por favor, é o limite do meu banco, onde posso conseguir R$ 200 agora? Sabe de algum lugar pra vender a alma aqui por perto? Tentei conseguir dinheiro de todo jeito, só não dei que não deu”.

Ok, ela me deixou pagar na segunda-feira sem multa.

Segunda-feira essa que eu não queria de forma alguma ter que sair de casa, já que vou trabalhar de madrugada de domingo pra segunda. Infernosssssssssss.

(Mas já que eu vou ter que sair, alguém me acompanha numa cerveja na Av. Paulista segunda-feira a noite?)

4 comentários:

Sames disse...

Hahaha, já dizia o velho Murff (sei lá se é assim que escreve o nome dele) e sua lei, se começou errado vai dar errado no fim.

Por isso eu digo sempre querida miraBEL, tenha duas contas em dois bancos diferentes, assim evita dor de cabeça.

Desde o dia que sai com uns amigos aqui em BH e descobri que o buteco onde estavamos não recebia cartão de débito ou crédito, comecei a andar com pelo menos 50 reais na carteira. Ainda mais que nesse dia mesmo, fui burro de perguntar somente após consumirmos tudo que queriamos. Quem sofreu foi o garçon, que ficou sem sua gorgeta de 10%.

Sabe, acho que as pessoas hoje em dia não gostam muito de ajudar e isso faz com que pensemos que nada dará certo se alguma coisa sai fora do lugar. Daí, tudo vira desespero. Pense bem, se vc tivesse falado com a dona que so tinha os 500, provavelmente ela ia deixar vc voltar na segunda de qualquer jeito.

Agora quer saber de uma coisa que me deixou tranquilo? Esse negocio dos bancos ficarem de olho quando usamos mto o nosso cartão. Gostei, me deu segurança e mostra que pelo menos isso é uma forma de sabermos se tem alguém usando coisas nossas.

Bom, como sempre seus topicos me fazer escrever mto. Bjos minha amiga BELgica.

Ah, se quiser me add no meu msn: samarone77@gmail.com é de graça! :)

.Ps: Trabalhar de madrugada deve dar sono, ainda mais nos fins de semana. :D

Bel disse...

Pior que eu tenho conta em outro banco também, mas não carrego os dois cartões por "motivos de segurança"..

Também por motivos de segurança, que banco só me permitiu sacar R$ 500

Ou seja, da segurança, fui refém.

Sames disse...

hhahah :) Você é boa gente Ding BEL, bom domingo procê.

bjos

Deja disse...

Seja com quem for tomar essa cerveja na segunda, leve grana viva.

Ri bastante da sua tragédia, não pelo fato, mas pela forma como relatou.

See ya...