terça-feira, 19 de agosto de 2008

O Brilho Eterno de uma Mente sem Lembrança

Você percebe que a memória não ta bem quando vai trabalhar de ônibus, mas na hora de ir pra casa, bate lá no estacionamento e faz o moço ficar procurando seu carro inutilmente. Sim, fiz isso na última sexta-feira. Mas não me condenem, é o hábito de ir de carro todos os dias.

Não pensem que isso é uma coisa "anormal", conversando com amigos, um deles me contou que foi trabalhar de carro e voltou de fretado. O outro estava no ponto esperando o ônibus, olhou pra um carro estacionado na rua e achou muito parecido com o dele...tão parecido que....era realmente o dele.

Senti que a coisa estava ficando feia mesmo quando deixei a bolsa no laboratório da faculdade, e só percebi quando fui pegar o bilhete único pra pagar a passagem no ônibus e pensei: "Pérae, onde ta o bilhete único? - Na Bolsa - E onde ta a bolsa? ONDE ESTÁ A BOLSA MEO DEOS?! Sorte que eu estava com um amigo, ele pagou minha passagem e voltamos os dois correndo pra faculdade pra procurar a bolsa....sim, achei, e sim, nada foi roubado.

Isso foi quando eu cursava engenharia, fiquei tão zureta das idéias que também me lembro de ter esquecido um livro (caríssimo) da biblioteca da faculdade no caixa eletrônico, percebi só enquanto dirigia em plena Av. Paulista....lá volto eu pra procurar o livro - é claro que primeiro procurei na faculdade, depois no estacionamento, pra aí sim lembrar que ele ficara no caixa eletrônico. Triste, eu sei.

Algum tempo depois, eu lia O código Da Vince, aquele do Dan Marron, sabem? e no auge da leitura esqueci o livro no banheiro da faculdade, mas recuperei nos achados e perdidos.

Perda irreparável mesmo e que me deu mais réiva foi quando perdi um pé da minha sandália preferida.
Como eu fiz isso? Tinha um tênis velho que ficava dentro do meu carro, só pra dirigir, pois uso muito sandália e salto, e sabemos que é contra a lei dirigir com esse tipo de calçado.

Cheguei no shopping, tirei o tênis, coloquei a sandália...na hora de sai, tirei a sandália, deixando um pé no estacionamento do shopping, e coloquei o tênis...A bichinha ficou lá. Como desgraça é pouca bobagem, eu não ia direto pra casa, ia encontrar com uns amigos....chegando lá no boteco, estacionei, mas hora de descer do carro, cadê minha sandália? procurei de toda forma, chegando á conclusão que ela realmente ficara no estacionamento do shopping. Eu toda arrumadinha, não dava pra sair em publico com aquele tênis, ia parecer uma jeca, voltei pra casa né? com a maior cara de bunda do mundo.

Legal também é que sempre que saio do carro acabo voltando pra confirmar se realmente travei a porta (sabe como é, pobre não tem trava elétrica no carro).

Belo dia eu estava convicta de ter travado a porta! fui fazer minhas compras feliz e saltitante, na certeza de ter deixado a porta do carro realmente trancada. Quando voltei, qual foi a minha surpresa? A porta realmente estava trancada, mas o vidro estava aberto...

Gentem, sinto vergonha de mim nessas horas.

Eu ia falar mais alguma coisa, mas fica pra outra hora, pq já me esqueci o que era.

3 comentários:

fram disse...

kkkkkkkkkkkkkk
...Legal também é que sempre que saio do carro acabo voltando pra confirmar se realmente travei a porta (sabe como é, pobre não tem trava elétrica no carro)...

fiaa achei seu blog por acaso...e to rindo até agora com este post...e nao poderia deixar de comentar.... e tipo essa do carro eu faço seeempre!!!kkkk

curti seu blog, e estarei passando sempre se nao se importar rss....

bjinhu e hasta la vista...

Gilmore Guy disse...

hauahuahau
Além de esquecida, você é suuuper sortuda, viu?

Uma vez esqueci minha carteira no trabalho e fiquei na rua sem ter como voltar pra casa. Resultado? Achei um dinheiro que por sorte tava no meu bolso e fui pra casa.

Sames disse...

hahuahuahuuha, você é minha heroina MiraBEl...

bjos